Ele é um rapaz belo.

UM - artigo indefinido

RAPAZ - substantivo comum, concreto

BELO - adjetivo

Ele é um rapaz belo.

- Compreensão da mensagem:

ELE         -             rapaz           -        belo

É ==????????

Verbo = AÇÃO

FLEXÕES TEMPORAIS (mudança no tempo)

(o verbo muda segundo o tempo em que se localiza a ação)

1 – Ele é um rapaz belo. AGORA (PRESENTE)

2 – Ele foi um rapaz belo. ONTEM (PASSADO)

3 – Ele será um rapaz belo. AMANHÃ (FUTURO)

O verbo flexiona....

Ele é um rapaz belo.

FLEXÃO PESSOAL

1 – EU sou um rapaz belo. - EU (pessoa)

2 – TU és um rapaz belo. - TU (pessoa)

3 – ELE é um rapaz belo. - ELE (pessoa)

4 – NÓS somos uns rapazes belos. - NÓS (pessoa)

5 – VÓS sois uns rapazes belos. - VÓS (pessoa)

6 – ELES são uns rapazes belos. - ELES (pessoa)

FLEXÃO EM NÚMERO (singular, plural):

3 pessoas para o singular: eu, tu, ele

3 pessoas para o plural: nós, vós, eles

O verbo sofre flexões. (variações)

É - forma original do verbo??? Ou eu estou na forma flexionada...?

SER - sou, és, é, somos, sois, são

                      (ele)

SER = TERMINA EM ‘R’ (ser, crer, andar, pintar, nadar, criar, por, sorrir, partir) à O VERBO ESTÁ NO INFINITIVO (infinito....... você não encontra a pessoa que executa a ação):

 

SER o melhor.

GANHAR a vida.                             Verbos no INFINITIVO

                                                  Porque não possuem uma pessoa.

SORRIR sem PARAR.

Verbo é a classe de palavras que se flexiona em pessoa, número, tempo, modo e voz. Pode indicar, entre outros processos:

ação (correr);
estado (ficar);
fenômeno (chover);
ocorrência (nascer);
desejo (querer).

O que caracteriza o verbo são as suas flexões, e não os seus possíveis significados. Observe que palavras como corrida, chuva e nascimento têm conteúdo muito próximo ao de alguns verbos mencionados acima; não apresentam, porém, todas as possibilidades de flexão que esses verbos possuem.

Estrutura das Formas Verbais

Do ponto de vista estrutural, uma forma verbal pode apresentar os seguintes elementos:

a) Radical: é a parte invariável, que expressa o significado essencial do verbo. Por exemplo:

fal-ei; fal-ava; fal-am. (radical fal-)

b) Tema: é o radical seguido da vogal temática que indica a conjugação a que pertence o verbo. Por exemplo:

fala-r

São três as conjugações:

1ª - Vogal Temática - A - (falar)
2ª - Vogal Temática - E - (vender)
3ª - Vogal Temática - I - (partir)

c) Desinência modo-temporal: é o elemento que designa o tempo e o modo do verbo. Por exemplo:

falávamos (indica o pretérito imperfeito do indicativo.)
falasse (indica o pretérito imperfeito do subjuntivo.) 

d) Desinência número-pessoal: é o elemento que designa a pessoa do discurso (1ª, 2ª ou 3ª) e o número (singular ou plural). Por exemplo:

falamos (indica a 1ª pessoa do plural.) 
falavam(indica a 3ª pessoa do plural.)

Observação: o verbo pôr, assim como seus derivados (compor, repor, depor, etc.), pertencem à 2ª conjugação, pois a forma arcaica do verbo pôr era poer. A vogal "e", apesar de haver desaparecido do infinitivo, revela-se em algumas formas do verbo: põe, pões, põem, etc.

Formas Rizotônicas e Arrizotônicas

Ao combinarmos os conhecimentos sobre a estrutura dos verbos com o conceito de acentuação tônica, percebemos com facilidade que nas formas rizotônicas, o acento tônico cai no radical do verbo: opino, aprendam, nutro, por exemplo. Nas formas arrizotônicas, o acento tônico não cai no radical, mas sim na terminação verbal: opinei, aprenderão, nutriríamos.