1 – Nossos pais viajaram.

2 – Nossos pais planejaram a viagem.

3 – Nossos pais gostaram da viagem.

 

É possível notar que a relação de sentido dos verbos das orações acima com os outros termos de suas respectivas orações é diferente. O sentido do verbo ‘viajaram’, por exemplo, não necessita de nenhum outro complemento, pois está contido no próprio verbo. Por outro lado, os verbos ‘planejaram’ e ‘gostaram’ necessitam de mais um termo para complementar seu sentido, ou seja, há uma relação de subordinação entre os verbos e os seus complementos.

 

Quando essa relação acontece sem a presença de preposição entre o verbo e seus complementos, o verbo é classificado como transitivo direto. Quando, nessa relação, há a presença da preposição entre o verbo e seus complementos, o verbo é classificado como transitivo indireto. Contudo, se o sentido do verbo não depender de nenhum complemento, então, o verbo será intransitivo.

 

Assim, em relação à transitividade verbal, os verbos podem ser: transitivos diretos (V.T.D.), transitivos indiretos (V.T.I.), transitivos diretos e indiretos (V.T.D.I.) ou intransitivos (V.I.).

Veja como identificar essa transitividade nas orações:

 

Verbo transitivo direto

 

Ele não derrubou meu livro.

 

Perceba que, ao desmembrar o verbo de seu complemento, o verbo permanece com um sentido incompleto, o que significa que existe a necessidade de complementar o seu sentido com outro termo, ou seja, seu sentido possui um movimento, um trânsito para outro termo. Observe:

 

Ele não derrubou...

 

Por esse movimento de sentido para outro termo, o verbo da oração acima é caracterizado como transitivo.

 

Agora, observe o tipo de pergunta que fazemos para saber se é necessário um complemento verbal:

 

Ele não derrubou (O quê?) meu livro.

 

Na construção dessa pergunta e da resposta, não há a presença de preposição, pois o movimento do verbo para o seu complemento é direto, ou seja, a transitividade é direta. Assim, o verbo derrubar é um V.T.D.

Observe outros exemplos:

 

Eu comprei uma bicicleta.

Eu comprei (O quê?) uma bicicleta.

Eles fizeram a lição.

Eles fizeram (O quê?) a lição.

 

Verbo transitivo indireto

 

Ela necessita de sapatos novos.

Perceba que, ao desmembrar os verbos de seus complementos, eles ficam com o sentido incompleto, mostrando a relação de subordinação entre esses dois termos da oração:

 

Ela necessita...

 

Por esse movimento do sentido para outro termo, esse verbo é também caracterizado como transitivo.

Agora, note a diferença da pergunta feita ao verbo para conseguirmos o complemento verbal:

 

Ela necessita (de quê?) de sapatos novos.

 

Veja que, nesse caso, a construção da pergunta e do complemento possui a presença da preposição de, caracterizando um movimento indireto entre o verbo e o seu complemento, ou seja, uma transitividade indireta. Assim, o verbo necessitar é um V.T.I.

 

Observe outros exemplos:

 

João gosta de Ana.

 

João gosta (de quem?) de Ana.

 

Eu acredito na bondade humana.

Eu acredito (em quê?) na bondade humana.

 

Verbo transitivo direto e indireto

Existem alguns verbos que possuem bitransitividade, ou seja, a relação de subordinação com seus complementos ocorre de forma direta e indireta ao mesmo tempo. Veja:

 

Minha mãe deu um brinquedo ao meu irmão.

 

Perceba que o verbo deu necessita de duas perguntas para que tenhamos o seu complemento:

 

Minha mãe deu.. (O quê?) um brinquedo ao meu irmão.
(a quem?)                        

 

Essa primeira pergunta, sem a presença de preposição, caracteriza a transitividade direta; e a segunda pergunta, com a presença da preposição a, caracteriza a transitividade indireta.

 

Observe outro exemplo:

 

Pedro agradeceu (O quê?) o adiantamento ao diretor.
(a quem?)                 

 

Verbo intransitivo

 

Finalmente, vamos analisar a atitude de verbos que contêm o sentido completo, ou seja, não possuem a necessidade de complementos verbais.

 

Veja:

Meu pai voltou.

Eu me casei.

A criança caiu.

 

Note que esses verbos possuem sentido completo e não necessitam de nenhum trânsito para um outro termo da oração, ou seja, são verbos intransitivos.

 

1. (FCC-Adaptada) ... que consomem 46% de toda a gasolina do planeta ...

O mesmo tipo de complemento exigido pelo verbo grifado acima está na frase:

a) ... o mundo sofre com a falta de capacidade de refino moderno ...
b) ... e outros adjacentes na Bacia de Santos vem em ótima hora ...
c) Outra oportunidade reside em investimentos maciços em capacidade de refino.
d) ... mas esta é uma tendência que se vem espalhando como fogo em palha.
e) ... para gerar produtos de alto valor ambiental.

 

2. (FCC-Adaptada) Quem acompanhou a trajetória do Programa Nacional do Álcool...

O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o do grifado acima está na frase:

a) ... ninguém apostava no seu êxito imediato ...
b) ... com que ele não contava em experiências anteriores do uso do álcool ...
c) ... sabe de seus altos e baixos.
d) ... provocaram a queda das vendas desses veículos...
e) ... que se tornaram residuais.

 

3. (UNIP) Quando repeti isto, pela terceira vez, pensei no seminário, mas como se pensa em perigo que passou, um mal abortado, um pesadelo extinto; todos os meus nervos me disseram que homens não são padres. (Machado de Assis)

Na frase acima, os verbos destacados são:

a) Transitivo direto – transitivo indireto – intransitivo
b) Transitivo direto – transitivo direto – transitivo direto
c) Transitivo indireto – intransitivo – transitivo direto
d) Intransitivo – intransitivo – intransitivo
e) Intransitivo – transitivo direto – transitivo direto

 

4. (Facens) Assinale a alternativa em que o verbo é transitivo direto.

a) Comprei um terreno e construí a casa.
b) Os guerreiros dormem agora.
c) O cego não vê.
d) João parece zangado.

 

5. (FCC) Jogadores e dirigentes incitam a violência com declarações impensadas.

A frase em que o verbo exige o mesmo tipo de complemento que o grifado acima é:

a) ... como se todas as suas atitudes fossem ilícitas.
b) ... que as mortes que ocorrem no futebol ...
c) ... que não contribui para a superação do problema.
d) ... não apenas para torcer por suas cores.
e) ... enquanto os demais exercem alguns dos seus direitos de cidadania.

 

6. (FCC-Adaptada) ... mas nem todos entendem seu real significado.

O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o grifado acima está também grifado em:

a) A pesquisa tratava da valorização de sentimentos até então vistos como negativos no ambiente de trabalho.
b) A manifestação de emoções positivas é geralmente bem aceita em qualquer ambiente.
c) Estudos recentes aludem à importância das emoções, sejam elas positivas ou negativas, na vida pessoal e profissional.
d) O local de trabalho nem sempre se torna propício à manifestação das próprias emoções.
e) Pesquisadores revelaram a existência de preconceitos enraizados contra a manifestação de emoções.

 

7. (UCMG-Adaptada)

“A vergonha foi enorme.” – transitivo direto e indireto

Procura insistentemente perturbar-me a memória.” – transitivo direto

Fiquei, durante as férias, no sítio de meus avós.” – de ligação

“Para conseguir o prêmio, Mário reconheceu-nos imediatamente.” – transitivo direto

“Ela nos encontrará, portanto é só fazer o pedido.” – transitivo direto

A classificação dos verbos sublinhados, quanto à predicação, foi feita corretamente apenas em:

a) 1, 3 e 4
b) 2, 4 e 5
c) 1, 2, e 5
d) 2, 3,4 e 5
e) 1, 2 e 3

 

8. (FCMSCSP) Observe as seguintes frases:

I – Pedro pagou os tomates.
II – Pedro pagou os feirantes.
III – Pedro pagou os tomates ao feirante.

a) Estão corretas apenas a I e a II, pois o verbo PAGAR é transitivo direto.
b) A II está errada, porque, quando PAGAR tem por objeto um nome de pessoa é transitivo indireto (o certo seria “ao feirante”)
c) Apenas a I está correta.
d) A frase II é a única correta e PAGAR é transitivo direto nesta frase.
e) Todas as frases estão construídas conforme as regras de regência do verbo PAGAR.

 

9. (FCC-Adaptada) Ele remonta pelo menos a Platão, no século V antes de Cristo.

A relação entre verbo e complemento, grifados acima, se reproduz na frase:

a) Mas isso é mesmo uma novidade?
b) ... quais invenções aumentam a representação...
c) ... quando você fala com alguém na sua frente...
d) ... que o morto ou o longínquo esteja conosco...
e) O avanço da amizade on-line (...) desvaloriza a amizade presencial.

10. (PUC-MG)

Considerando que verbo transitivo direto requer complemento verbal chamado objeto direto, assinale a alternativa em que esse termo ocorre:

a) O tostão é regateado com cerimônia.
b) Como viverei sem ti, meu bem?
c) Vamos... – disse Jesuíno.
d) Eram todos irmãos, felizmente.
e) E vão fazendo telhados.

 

11. (IFB) A análise da transitividade verbal não deve ser feita isoladamente, mas sim de acordo com o texto. O mesmo verbo pode estar empregado ora intransitivamente, ora transitivamente, ora com objeto direto, ora com objeto indireto. Dessa forma, indique a alternativa INCORRETA:

a) Perdoai sempre. (verbo intransitivo)
b) Perdoai as ofensas. (verbo transitivo direto)
c) Perdoais aos inimigos. (verbo transitivo indireto)
d) Por que sonhas, ó jovem poeta? (verbo transitivo direto)
e) Sonhei um sonho guinholesco. (verbo transitivo direto)

 

12. (FCC-Adaptada) Joaquim Serra, Juvenal Galeno e Bernardo Guimarães debulharam lágrimas de esguicho, quentes e sinceras.

O verbo transitivo empregado com o mesmo tipo de complemento com que foi empregado o verbo grifado acima está em:

a) É mentira!
b) A notícia chegou ao Instituto Histórico durante uma sessão presidida por d. Pedro II.
c) que estava vivo, bem vivo.
d) E morreu num naufrágio…
e) Entre exclamações, citou Horácio…

 

13. (UFV) Dependendo do contexto, um verbo normalmente intransitivo pode tornar-se transitivo. Assinale a alternativa em que ocorre um exemplo:

a) “Ponha intenções de quermesse em seus olhos…”
b) “…sorria lírios para quem passe debaixo da janela.”
c) ” beba licor de contos de fadas…”
d) “Ande como se o chão estivesse repleto de sons…”
e) “… e do céu descesse uma névoa de borboletas…”

 

14. (Mackenzie) (…) “Do Pantanal, corra até Bonito, onde um mundo de águas cristalinas faz tudo parecer um imenso aquário.” (O Estado de São Paulo)

Assinale a alternativa que apresenta a correta classificação dos verbos do período acima, quanto à sua predicação.

a) intransitivo – transitivo direto – de ligação
b) transitivo indireto – transitivo direto – de ligação
c) intransitivo – transitivo direto – transitivo direto
d) transitivo indireto – transitivo direto – transitivo direto
e) intransitivo – intransitivo – intransitivo

 

15. (FGV-2003) Assinale a alternativa em que, pelo menos, um verbo esteja sendo usado como transitivo direto.

a) Dependeu o coveiro de alguém que rezasse.
b) Oremos, irmãos!
c) Chega o primeiro raio da manhã.
d) Loureiro escolheu-nos como padrinhos.
e) Contava com o auxílio de Marina para cuidar do evento.

 

16. (FGV) Em cada uma das alternativas abaixo, está sublinhado um termo iniciado por preposição. Assinale a alternativa em que esse termo não é objeto indireto.

a) O rapaz aludiu às histórias passadas, quando nossa bela Eugênia ainda era praticamente uma criança.
b) Quando voltei da Romênia, o Brasil todo assistia à novela da Globo, todos os dias.
c) Quem disse a Joaquina que as batatas deveriam cozer-se devagar?
d) Com a aterrissagem, o aviador logo transmitiu ao público a melhor das impressões.
e) Foi fiel à lei durante todos os anos que passou nos Açores.

17. (AEDB) Em qual das alternativas abaixo ocorre objeto indireto pleonástico?

a) A Rafael chamaram-lhe covarde.
b) O moço correspondeu na hora à gentileza.
c) Tu não dependes do teu pai para nada, meu caro.
d) Não obedeço a ninguém, só ao meu próprio juízo.
e) O seu filho só precisa mesmo de compreensão.

 

18. (FCC-Adaptada) O Brasil abriga 13% das espécies da fauna e da flora existentes em todo o mundo...

O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o do grifado acima está na frase:

a) ... e a maior parte delas está na Amazônia.
b) ... 10% já englobam números espantosos.
c) As abelhas são 3 mil ...
d) ... que vivem nas áreas mais profundas do rio ...
e) ... quantas espécies existem na região?

 

19. (FCC-Adaptada) ... fazer as pazes após uma briga..

O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o do grifado acima está na frase:

a) ... que está em apuros...
b) ... resultam de seus valores morais e éticos.
c) ... que eles também são comuns entre alguns tipos de primatas.
d) ... que produziu o campo da moralidade...
e) ... para que a vida em grupo seguisse harmoniosa.

 

20. (Mackenzie) Nas frases abaixo, o pronome oblíquo está corretamente classificado, exceto em:

a) “Fugia-lhe é certo, metia o papel no bolso …” (objeto indireto)
b) “… ou pedir-me à noite a bênção do costume” (objeto indireto)
c) “Todas essas ações eram repulsivas: eu tolerava-as …” (objeto direto)
d) “… que vivia mais perto de mim que ninguém” (objeto indireto)
e) “… eu jurava matá-los a ambos …” (objeto direto)

 

21. (PUC) Em: “Os sururus em família têm por testemunha a Gioconda”, as expressões sublinhadas ("por testemunha" e "a Gioconda") são:

a) complemento nominal – objeto direto
b) predicativo do objeto – objeto direto
c) objeto indireto – complemento nominal
d) objeto indireto – objeto indireto
e) complemento nominal – objeto direto preposicionado

 

22. (FEI-SP) Em “Usando do direito que lhe confere a Constituição”, as palavras sublinhadas exercem a função, respectivamente, de:

a) objeto direto e objeto direto
b) sujeito e objeto indireto
c) objeto indireto e sujeito
d) sujeito e sujeito
e) objeto direto e objeto indireto

 

23. (FAAP)

OLHOS DE RESSACA

"Enfim, chegou a hora da encomendação e da partida. Sancha quis despedir-se do marido, e o desespero daquele lance consternou a todos. Muitos homens choravam também, as mulheres todas. Só Capitu, amparando a viúva, parecia vencer-se a si mesma. Consolava a outra, queria arrancá-la dali. A confusão era geral. No meio dela, Capitu olhou alguns instantes para o cadáver tão fixa, tão apaixonadamente fixa, que não admira lhe saltassem algumas lágrimas poucas e caladas... As minhas cessaram logo. Fiquei a ver as dela; Capitu enxugou-as depressa, olhando a furto para a gente que estava na sala. Redobrou de carícias para a amiga, e quis levá-la; mas o cadáver parece que a retinha também. Momentos houve que os olhos de Capitu fitaram o defunto, quais os da viúva, sem o pranto nem palavras desta, mas grandes e abertos, como a vaga do mar lá fora, como se quisesse tragar também o nadador da manhã." (Machado de Assis)

Só um destes verbos é transitivo direto, ao lado do qual aparece o objeto direto:

a) chegou a hora da encomendação.
b) a confusão era geral.
c) lhe saltassem algumas lágrimas.
d) Capitu enxugou-as.
e) as minhas cessaram logo.

 

24. (ITA)

OS CÃES

- Lutar. Podes escachá-los ou não; o essencial* é que lutes. Vida é luta. Vida sem luta* é um mar morto no centro do organismo universal.

DAÍ A POUCO demos COM UMA BRIGA de cães; fato que AOS OLHOS DE UM HOMEM VULGAR não teria valor, Quincas Borba fez-me parar e observar os cães. Eram dois. Notou que ao pé deles* estava um osso, MOTIVO DA GUERRA, e não deixou de chamar a minha atenção para a circunstância de que o osso não tinha carne. Um simples osso nu. Os cães mordiam-se*, rosnavam, COM O FUROR NOS OLHOS... Quincas Borba meteu a bengala DEBAIXO DO BRAÇO, e parecia em êxtase.

- Que belo que isto é! dizia ele de quando em quando. Quis arrancá-lo dali, mas não pude; ele estava arraigado AO CHÃO, e só continuou A ANDAR, quando a briga cessou* INTEIRAMENTE, e um dos cães, MORDIDO e vencido, foi levar a sua fome A OUTRA PARTE. Notei que ficara sinceramente ALEGRE, posto* contivesse a ALEGRIA, segundo convinha a um grande filósofo. Fez-me observar a beleza do espetáculo, relembrou o objeto da luta, concluiu que os cães tinham fome; mas a privação do alimento era nada para os efeitos gerais da filosofia. Nem deixou de recordar que em algumas partes do globo o espetáculo é mais grandioso: as criaturas humanas é que disputam aos cães os ossos e outros manjares menos APETECÍVEIS; luta que se complica muito, porque entra em ação a inteligência do homem, com todo o acúmulo de sagacidade que lhe deram os séculos etc.

Quanto à predicação, os verbos "mordiam, cessou, disputam" classificam-se, no texto, respectivamente como:

a) t. direto e indireto, transitivo, t. direto.
b) t. direto e indireto, intransitivo, t. direto.
c) transitivo, ligação, t. direto e indireto
d) t. direto, intransitivo, t. direto e indireto.
e) intransitivo, intransitivo, transitivo.

 

25. (Unirio)

TERRA

“Tudo tão pobre. Tudo tão longe do conforto e da civilização, da boa cidade com as suas pompas e as suas obras. Aqui, a gente tem apenas o mínimo e até esse mínimo é chorado.

Nem paisagem tem, no sentido tradicional de paisagem. Agora, por exemplo, fins d’águas e começos de agosto, o mato já está todo zarolho. E o que não é zarolho é porque já secou. Folha que resta é vermelha, caíram as últimas flores das catingueiras e dos paus-d’arco, e não haveria mais flor nenhuma não fossem as campânulas das salsas, roxas e rasteiras.

No horizonte largo tudo vai ficando entre sépia e cinza, salvo as manchas verdes, aqui e além, dos velhos juazeiros ou das novatas algarobas. E os serrotes de pedra quando o sol bate neles de chapa, tira faíscas de arco-íris. E a água, a própria água, não dá impressão de fresca: nos pratos-d’água espelhantes ela tem reflexos de aço, que dói nos olhos.

A casa fica num alto lavado de ventos. Casa tão rústica, austera como um convento pobre, as paredes caiadas, os ladrilhos vermelhos, o soalho areado. As instalações rudimentares, a lenha a queimar o fogão, a água de beber a refrescar nos potes. O encanamento novo é um anacronismo, a geladeira entre os móveis primitivos de camaru parece sentir-se mal.

Não tem jardim: as zínias e os manjericões que levantavam um muro colorido ao pé dos estacotes, estão ressequidos como ramos bentos guardados num baú. Também não tem pomar, fora os coqueiros e as bananeiras do baixo.

Não tem nada dos encantos tradicionais do campo, como os conhecimentos pelo mundo além. Nem sebes floridas, nem regatos arrulhantes, nem sombrios frescos do bosque – só se a gente der para chamar a caatinga de bosque.

Não, aqui não há por onde tentar a velha comparação, a clássica comparação dos encantos do campo aos encantos da cidade. Aqui não há encantos. Pode-se afirmar com segurança que isto por aqui não chega sequer a ser campo. É apenas sertão e caatinga. As delgadas, escuras cercas de pau-a-pique cavalgando as lombadas, o horizonte redondo e desnudo, o vento nordeste varrendo os ariscos.

Comparo este mistério do Nordeste ao mistério de Israel. Aquela terra árida, aquelas águas mornas, aqueles pedregulhos, aqueles cardos, aquelas oliveiras de parca folhagem empoeirada – por que tanta luta por ela, milênios de amor, de guerra e saudade?

Por que tanto suor e carinho no cultivo daquele chão que aparentemente só dá pedra, espinho e garrancho?

Não sei. Mistério é assim: está aí e ninguém sabe. Talvez a gente se sinta mais puros, mais nus, mais lavados. E depois a gente sonha. Naquele cabeço limpo vou plantar uma árvore enorme. Naquelas duas ombreiras a cavaleiro da grota dá para fazer um açudinho. No pé da parede caberão uns coqueiros e no choro da revência, quem sabe, há de dar umas leiras de melancia em novembro.

Aqui tudo é diferente. Você vê falar em ovelhas – e evoca prados relvosos, os brancos carneirinhos redondos de lã. Mas as nossas ovelhas se confundem com as cabras e têm o pêlo vermelho e curto de cachorro-do-mato; verdade que os cordeirinhos são lindos.

Sim, só comparo o Nordeste à Terra Santa. Homens magros, tostados, ascéticos. A carne de bode, o queijo duro, a fruta de lavra seca, o grão cozido n’água e sal. Um poço, uma lagoa é como um sol líquido, em torno do qual gravitam as plantas, os homens e os bichos. Pequenas ilhas d’água cercadas de terra por todos os lados e em redor dessas ilhas a vida se concentra.

O mais é paz, o sol, o mormaço.”

Raquel de Queirós

Assinale a opção correta quanto à predicação atribuída ao verbo sublinhado na passagem do texto:

a) “A casa fica num alto lavado de ventos.” (parágrafo 4) – ligação
b) “Aqui não há encantos.” (parágrafo 7) – intransitivo
c) “… que levantavam um muro colorido ao pé dos estacotes,” (parágrafo 5) – transitivo direto e indireto
d) “Sim, só comparo o Nordeste à Terra Santa.” (parágrafo 12) – intransitivo
e) “…em torno do qual gravitam as plantas, os homens e os bichos.” (parágrafo 12) – intransitivo