Texto 1 - “A questão do político – ou da política – é, ao mesmo tempo, simples e complexa. Simples, se for abordada pelo viés da opinião: trata-se de ser a favor ou contra um projeto da sociedade, a favor ou contra tal partido, a favor ou contra um determinado político (homem ou mulher). Se essa opinião for expressa num voto, na participação em uma manifestação, numa ação militante ou simplesmente durante uma discussão, a questão política se reduz a uma tomada de posição mais ou menos argumentada”. (Patrick Charaudeau, A conquista da opinião pública. São Paulo: ConTexto, 2016. p. 9)

01) “...a favor ou contra um determinado político (homem ou mulher)”. O autor do texto 1 inseriu a explicação entre parênteses a fim de:

A) adequar-se ao momento de maior presença das mulheres na política;

B) indicar a possibilidade de o cargo político poder ser exercido por homem ou mulher;

C) contornar a impossibilidade textual de a forma “político” referir-se a mulheres;

ininteligível

D) distanciar-se das discussões entre sexo e gênero;

E) defender sua visão feminista da atividade política.

Texto 2 - Um folheto de propaganda de vinhos, a propósito de uma determinada marca, diz o seguinte: “O toque de sofisticação deste rosé começa com o “vino lock”, uma tampa de vidro que sela vinhos especiais, e este vinho é assim do começo ao fim. Além dos aromas delicados de frutas vermelhas e pétalas de rosa, traz acidez moderada e leve doçura ao paladar. Fresco e alegre, este é um rosé que expressa um caráter moderno da mais tradicional região para a produção de rosés do mundo, a Provence”.

02) O texto 2, do desejo de vender o produto, apela sobretudo para:

A) a sofisticação da embalagem;

B) a junção de tradição e modernidade;

C) a delicadeza da coloração do vinho;

D) a variedade que atende a vários gostos;

E) a distinção de classes sociais por meio da seleção de vinhos.

Texto 3 - “A ética lida com aquilo que pode ser diferente do que é. O terremoto que aniquila uma comunidade ou a leucemia que destrói a vida de um jovem provocam em nós um sentimento íntimo de revolta, mas não se prestam à condenação moral. São eventos naturais, determinados por mecanismos causais inerentes ao mundo físico e que independem por completo da vontade e escolha humanas. Podemos, é claro, evitar a construção de cidades em áreas de risco e buscar a cura da leucemia; ou aceitar estoicamente os fatos; ou rezar. Mas seria absurdo supor que eventos como estes possam ser diferentes do que são”. (Eduardo Giannetti, Vícios privados, benefícios públicos? São Paulo: Companhia das Letras, 2007. p. 19)

03) A afirmação correta sobre o conteúdo desse texto 3 de Giannetti é:

A) o terremoto e a leucemia, por serem eventos naturais, provocam consequências contempladas pela ética; 

B) o fato de evitar-se a construção de cidades em áreas de risco desmente a afirmação de que os fatos citados são inevitáveis; 

C) os fatos naturais não são passíveis de condenação moral por dependerem de causas inevitáveis ligadas ao mundo físico;

D) o período final do texto mostra o absurdo de alguns fenômenos naturais; 

E) a busca da cura da leucemia mostra o triunfo da ética sobre a inevitabilidade das coisas. 

04) As relações semânticas entre palavras e expressões de um texto são identificadas por sinonímia, antonímia, hiponímia, homonímia e polissemia.

A relação abaixo, do segundo em relação ao primeiro vocábulo, que exemplifica hiponímia é: 

a) contente/satisfeito;

b) serrote/ferramenta;

c) sábia/sabiá;

d) emigrar/imigrar;

e) autor/shakespeare.

- Sinonímia: Particularidade das palavras que são sinônimas; relação de sentido entre duas palavras (vocábulos) que possuem significação muito particular ou própria.

Ex: contente/satisfeito

- Antonímia: Estudo ou caráter das palavras semanticamente opostas (sentidos opostos).

Ex: emigrar/imigrar

- Hiponímia: Sentido que vai do genérico para o específico.

Ex: autor/shakespeare

Existiram vários autores (genérico), dentre os quais, Shakeaspeare (específico).

- Hiperonímia: vai do específico para o genérico.

Ex: serrote/ferramenta

- Homonímia: Qualidade do que é homônimo.

Semelhança ou igualdade de palavras com diferentes significados.

- Ex: Manga fruta e Manga de camisa.

- Homônimas: 

Homófonas - possuem a mesma pronúncia

Homógrafas - possuem a mesma escrita (grafia)

Parecido com a Polissemia: Que apresenta um grande número significados numa só palavra; cujo significado dependerá do contexto em que a palavra está inserida; por exemplo: cabo - cabo de vassoura, cabo militar, cabo da faca.

- Polissemia: multiplicidade de sentidos de uma palavra ou locução.

05) A afirmação correta sobre os elementos verbais da charge abaixo é:

(A CHARGE ESTÁ AO FINAL DESSA POSTAGEM)

A) após a frase “cuidado na saída”, em lugar da vírgula, poderia estar adequadamente empregada a conjunção “portanto”;

B) o termo “na saída” pode ser substituído por “enquanto tiver saindo”;

C) o termo “que” após o adjetivo “desconfiada” deveria ser substituído por “já que” ou “visto que”;

D) o pronome pessoal “te” deveria ser substituído por “lhe”;

E) a forma verbal “tem”, em linguagem formal, poderia ser substituída por “há”.

Uma carta de leitor do jornal O Globo mostrava o seguinte texto em 1988: “Levando um amigo ao Hospital Souza Aguiar, notei uma dedicação heroica dos médicos no trabalho nocturno. Um dos atendimentos de urgência necessitava de uma vacina antirrábica, que não havia em estoque, mas que foi rapidamente adquirida. Ainda se vêem profissionais como antigamente e minha idéia é divulgar esse trabalho para servir de exemplo”. (O Globo, 02/10/1988)

06) Segundo o sistema ortográfico oficial vigente em 2013, o vocábulo que está corretamente grafado é: 

A) heróica;

B) nocturno;

C) antirrábica;

D) vêem;

E) idéia.

07) O vocábulo abaixo que é formado pelo processo de parassíntese é:

A) pré-história;

B) inconstitucional;

C) perigosíssimo;

D) embarque;

E) desalmado.

Derivação Parassintética ou Parassíntese: Ocorre quando a palavra derivada resulta do acréscimo simultâneo de prefixo e sufixo à palavra primitiva. Considere, por exemplo, o adjetivo “triste". Do radical "trist-" formamos o verbo entristecer pela junção simultânea do prefixo "en-" e do sufixo "-ecer".

em - prefixo

ecer - sufixo

afixos = prefixos + sufixos

Note que a presença de apenas um desses afixos não é suficiente para formar uma nova palavra, pois em nossa língua não existem as palavras "entriste", nem "tristecer".

Derivação Prefixal e Sufixal: Ocorre quando a palavra derivada resulta do acréscimo não simultâneo de prefixo e sufixo à palavra primitiva.

Ex: Des-leal-dade (Prefixo + Radical+ Sufixo). Note que a presença de apenas um desses afixos é suficiente para formar uma nova palavra, pois em nossa língua existem as palavras "desleal", "lealdade".

Obs: Para estabelecer a diferença entre derivação prefixal e sufixal e parassintética, basta retirar o prefixo ou sufixo da palavra na qual se tem dúvida. Feito isso, observe se a palavra que sobrou existe; caso isso aconteça, será derivação prefixal e sufixal. Caso contrário, será derivação parassintética.

 

Texto 4 - PRIVAÇÕES

Verissimo, O Globo, 20/10/2016

“Durante anos, o Brasil sofreu a privação do Frank Sinatra. Passava ano, passava ano, e o Frank Sinatra não vinha. Nossa maior angústia era com o tempo: se demorasse muito para vir, o Frank Sinatra, quando viesse, não seria mais o mesmo. Poderia não ter mais a grande voz, ou ser uma múmia de si mesmo. Por que o Frank Sinatra não vinha ao Brasil enquanto era tempo? E, finalmente, o Frank Sinatra veio ao Brasil. E a espera, concordaram todos, tinha valido a pena. Sinatra cantou no Rio Palace para endinheirados e no Maracanã para uma multidão. Sua voz era a mesma dos bons tempos, apenas envelhecida em tonéis de carvalho como um bom Bourbon. O Brasil agradeceu a Sinatra com o maior público de sua carreira. E ficou feliz”.

08) Nesse primeiro parágrafo de uma crônica de Verissimo há cinco vezes o termo Frank Sinatra.

A repetição idêntica tem a finalidade de:

A) indicar a angústia da espera pela visita de Sinatra;

B) criticar o exagero das pessoas na admiração ao artista;

C) destacar a importância da presença do cantor entre nós;

D) mostrar que a expectativa era de todas as classes sociais;

E) enfatizar os vários argumentos a favor da vinda do artista.

 

09) No texto 4 está presente o seguinte segmento: “Poderia não ter mais a grande voz, ou ser uma múmia de si mesmo”.

Nesse segmento exemplifica-se a seguinte figura de linguagem:

A) antítese;

B) metáfora;

C) metonímia;

D) pleonasmo;

E) paradoxo.

 

Metáfora: Comparação IMPLÍCITA

Catacrese: Metáfora já muito utilizada

Metonímia: Troca de termos que possuem afinidade

Perífrase: Trocar um SER por uma CARACTERÍSTICA

Antítese: Ideias Opostas

Paradoxo: Ideias absurdas; contrárias

Eufemismo: Suavização Intencional de ideias

Ironia: Diz o contrário do que se pretende com o objetivo de dizer o que se pretende.

Hipérbole: Exagero Intencional

Apóstrofe: É um vocativo

Anáfora: Repetição de termos