01. De acordo com o texto, o equilíbrio no uso das mídias digitais pelos adolescentes depende:

a) do sono regular.

b) da prática de esportes. 

c) do poder de concentração.

d) da saúde mental. 

e) do exemplo dos pais.

 

02. Sem alterar o sentido do enunciado, em Uma pesquisa da Universidade de Ulster, na Irlanda do Norte, indica que a overdose de Twitter, Instagram e Snapchat, entre outras, patrocina uma vida sedentária (linhas 3 e 4), a forma verbal patrocina poderia ser substituída por:

a) influencia.

b) favorece.

c) permite.

d) implica.

e) financia.

03. A regência verbal culta NÃO foi observada em:

a) No futuro, o preço a pagar será alto: obesidade, diabete e doenças cardiovasculares”, avisa a psicóloga e coordenadora do trabalho Wendy Cousins. (linhas 8 e 9) 

b) Para chegar a tal conclusão, a equipe do médico Brian Primack monitorou a vida digital de 1.800 internautas, entre homens e mulheres de 19 a 32 anos. (linhas 13 e 14)

c) Em média, os voluntários gastavam 61 minutos por dia e acessavam as redes 30 vezes por semana. (linhas 15 e 16)

d) A investigação descobriu que um em cada cinco acorda durante a noite para checar e responder mensagens. (linhas 23 a 25)

e) Mas ressalva que as crianças tendem a seguir o modelo que têm em casa. (linhas 32 e 33)

 

04. Contém expressão própria da linguagem informal o trecho: 

a) “Se você está boa parte do dia nas mídias sociais, pode ter certeza de que outras atividades serão negligenciadas. No futuro, o preço a pagar será alto: obesidade, diabete e doenças cardiovasculares”. (linhas 6 a 8)

b) Quanto mais tempo ficamos conectados, maior o risco de desenvolver sintomas de depressão, constata um experimento da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos. (linhas 11 e 12)

c) Quando a moderação sai de cena e as plataformas digitais são mal usadas, a vida escolar (e, mais tarde, a profissional) paga o pato. (linhas 21 e 22)

d) No dia seguinte, adeus foco e atenção à lousa e aos livros. (linha 25) 

e) Na dúvida, recomendo aos pais que, na hora de dormir, retirem tablets e smartphones do quarto dos filhos”, diz a educadora Sally Power, da Universidade de Cardiff, no País de Gales. (linhas 27 a 29)

05. O referente do elemento coesivo grifado NÃO está corretamente indicado em:

a) Uma pesquisa da Universidade de Ulster, na Irlanda do Norte, indica que a overdose de Twitter, Instagram e Snapchat, entre outras, patrocina uma vida sedentária. (linhas 3 e 4) → mídias sociais

b) “Ainda não sabemos se os adolescentes acessam as redes sociais porque estão sem sono ou se perdem o sono por causa delas. (linhas 25 a 27) → redes sociais

c) Na dúvida, recomendo aos pais que, na hora de dormir, retirem tablets e smartphones de seus quartos” (linhas 27 e 28) → adolescentes 

d) A psicóloga Ana Luiza Mano, professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, explica que não existe idade ideal para os pais comprarem celular para os filhos ou liberarem seu acesso a algumas redes. (linhas 30 a 32) → pais

e) “Cabe aos pais orientá-las sobre a melhor maneira e a frequência certa de utilização das mídias sociais”, propõe. (linhas 33 e 34) → crianças

06. Em Até os anos 60, o papel-moeda e o dinheiro depositado nos bancos 'deviam estar' ligados a uma quantidade de ouro num sistema chamado lastro-ouro (linhas 1 e 2), a locução verbal poderia ser substituída, sem afetar o sentido do enunciado, por:

a) estavam.

b) eram.

c) deveriam ser.

d) tinham de estar

e) tinham de ser.

07. O autor do texto emprega com o mesmo significado os termos:

a) papel-moeda e dinheiro.

b) ouro e dinheiro. 

c) manobra e reserva fracional.

d) cédulas e valores.

e) canetaço e decisão administrativa.

 

08. O enunciado em que duas ideias se opõem é:

a) Como esse metal é limitado, isso garantia que a produção de dinheiro fosse também limitada (linhas 2 e 3).

b) Quando alguém vai até o banco e recebe um empréstimo, o valor colocado em sua conta é gerado naquele instante, criado a partir de uma decisão administrativa, e assim entra na economia (linhas 11 e 13). 

c) Essa explicação permaneceu controversa e escondida por muito tempo, mas hoje está clara em um relatório do Bank of England de 2014 (linhas 14 e 15).

d) Para pagar a dívida, preciso ir até o dito “livre-mercado” e trabalhar, lutar, talvez trapacear, para conseguir o dinheiro que o banco inventou na conta de outras pessoas (linhas 20 e 22).

e) No fim, os bancos acabam com todo o dinheiro que foi inventado e ainda confiscam os bens da pessoa endividada cujo dinheiro tomei (linhas 23 e 24).

 

09. Em Esse é o dinheiro que vai ser usado para pagar a dívida, já que a única fonte de moeda é o empréstimo bancário (linhas 22 e 23), a expressão grifada poderia ser substituída por:

a) pois.

b) portanto.

c) entretanto.

d) logo.

e) assim.

 

10. Em No fim, os bancos acabam com todo o dinheiro que foi inventado e ainda confiscam os bens da pessoa endividada cujo dinheiro tomei (linhas 23 e 24), a palavra grifada é sinônima de:

a) ganham.

b) trocam.

c) apreendem.

d) obtêm.

e) solicitam.