01. Qual é a única frase que possui um verbo de ligação?

a) Pedro trabalhava muito todos os dias.

b) Aquele carro é caro.

c) Ela quis viajar logo.

d) João e Marcos torcem para o mesmo time.

e) A professora insistiu no silêncio.

 

02. Qual alternativa possui uma oração sem sujeito?

I- Tínhamos as mesmas aspirações.

II – João está calado.

III – Viajei a fim de reencontrá-lo.

VI – Está bastante frio em São Paulo.

03. O esporte é bom pra gente, fortalece o corpo e emburrece A MENTE. – Antes que o primeiro corredor indignado atire UM TÊNIS em minha direção (...) – Quando estamos correndo, não há previsão de pagamento.

Os termos grafados com letras maiúsculas nas passagens acima, extraídas do texto apresentado, identificam-se pelo fato de exercerem a mesma função sintática nas orações de que fazem parte. Indique essa função:

(A) Sujeito.

(B) Predicativo do sujeito.

(C) Predicativo do objeto.

(D) Objeto direto.

(E) Complemento nominal

04. Relacione as colunas de acordo com o tipo de predicado

I. Tudo é fácil.

II. Joana adora doces.

III. João acha Mariana inteligente.

a) (  ) predicado verbal

b) (  ) predicado nominal

c) (  ) predicado verbo-nominal

05. Classifique os sujeitos das orações

a) A comida daquele restaurante é deliciosa.

b) Lúcio e Pedro trabalham juntos.

c) Encontraram meu livro

d) Gosto de chuva

 

06. Analise as frases seguintes e identifique as que também são orações:

a) Parabéns por tudo.
b) Que comportamento agressivo!
c) Será que ele vem hoje?
d) Eu quero!
e) Agora, por favor!
f) Nem pense nisso.

07. Indique por quantas orações são formados os seguintes períodos:
a) Eu li e reli, mas mesmo assim não entendi.
b) Na semana passada fomos ver o filme do Batman.
c) A professora pediu atenção e os alunos ouviram em silêncio.
d) A minha vizinha me emprestou esse livro.
e) Desejo que você concretize todos os seus desejos e seja feliz para sempre.

08. De acordo com a quantidade de orações identificadas, classifique os períodos acima em simples ou compostos.

a) composto

b) simples

c) composto

d) simples

e) composto

09.Leia atentamente: “O vigilante guarda-noturno e o seu valente auxiliar, nunca esmoreceram no cumprimento do dever.” No período acima, a vírgula está mal colocada, pois separa:

a) o sujeito e o objeto direto.

b) o sujeito e o predicado.

c) a oração principal e a oração subordinada.

d) o sujeito e o seu adjunto adnominal.

e) o predicado e o objeto direto.

10.  Leia atentamente: “A maior parte dos funcionários classificados no último concurso, optou pelo regime de tempo integral.” Na frase acima, há um erro de pontuação, pois a vírgula está separando de modo incorreto:

a) o sujeito e o predicado.

b) o aposto e o objeto direto.

c) o adjunto adnominal e o predicativo do sujeito.

d) o sujeito e o predicativo do objeto direto.

e) o objeto indireto e o complemento da agente da passiva.

 

11. Classifique as orações em destaque do período seguinte: “Ao analisar o desempenho da economia brasileira, os empresários afirmaram que os resultados eram bastante razoáveis, uma vez que a produção não aumentou, mas também não caiu.”

a) principal, subordinada adverbial final.

b) principal, subordinada substantiva objetiva direta.

c) subordinada adverbial temporal, subordinada adjetiva restritiva.

d) subordinada adverbial temporal, subordinada objetiva direta.

e) subordinada adverbial temporal, subordinada substantiva subjetiva.

 

12. Frase, Oração e Período

Classifique os períodos colocando PS para período simples e PC para o período composto:

(   ) Dei bobeira e comprei a passagem direto para o Rio.

(   ) Antes os índios eram os donos da terra.

(   ) Chegou ao bar, dançou, cantou, bebeu e foi embora.

(   ) Eu sou o cara, mais dorminhoco do mundo.

(   ) Você está triste.

(   ) Eu quero que você me acorde quando o ônibus chegar

(   ) Atenção, vou contar uma piada.

(   ) Inventei aquela desculpa porque não achei outra melhor.

(   ) O estudo nos traz benefícios.

(   ) O amor constrói e o ódio destrói.

13.  Indique nos parênteses o número de ações dos períodos abaixo:

(   ) O passageiro deu um pulo da cadeira e voou no pescoço do cobrador e aí começou a briga.

(   ) Segura daqui, pega dali, solta acolá, armou-se um circo espetacular.

(   ) O passageiro nem se mexe.

(   ) Fico muito nervoso quando me acordam.

(   ) Pelo jeito vai ser um belo dia.

(   ) Dia seguinte, seis e pouco da manhã, o ônibus para na rodoviária de Goiânia.

(   ) Quando sou acordado, fico uma fera.

(   ) O ônibus vai para Belo Horizonte.

(   ) O passageiro ficou muito nervoso com o trânsito.

(   ) O passageiro acorda sonolento, limpa os olhos, coça o peito e olha para o lado de fora.

14. Coloque C(certo) ou E (errado) para as afirmações colocadas nos parênteses abaixo:

(   ) Cuidado com nossas crianças. (período simples)

(   ) Tudo voltou ao que era antes. (período composto)

(   ) Minha mãe usa óculos, a sua não usa. (período simples)

(   ) Chuva e sol, casamento de espanhol. (frase)

(   ) Deus fez você para a vida. (período simples)

(   ) Lá vai ele para o mundo. (período simples)

(   ) Todo casal briga um dia na vida. (período composto).

(   ) O menino muito educadamente se despediu. (período composto)

(   ) Deus fez a lua que ilumina nossa estrada. (período composto)

(   ) Os dois eram parceiros inseparáveis. (período simples)

15.  Coloque A para frases nominais e B para frases oracionais.

(   ) Que piada engraçada!

(   ) Silêncio!

(   ) Não pise na grama.

(   ) Todos começaram a rir.

(   ) Atenção!

(   ) Por favor, dê-me um cigarro.

(   ) Boa noite!

(   ) O dia amanheceu nublado.

(   ) Com licença.

(   ) Deixe-me passar!

16. Coloque PS para o período simples e PC para o período composto:

(   ) Inventei aquela desculpa na hora.

(   ) Você vai sair ou vai ficar em casa?

(   ) Não gosto de mentiras.

(   ) Domingo fui ao clube, corri, nadei e joguei tênis.

(   ) O cachorrinho é pequeno mas já sabe morder.

(   ) José casou-se e teve três filhos.

(   ) Todos os feriados vamos à praia.

(   ) Prefiro o sítio à praia.

(   ) Os trabalhadores rurais trabalham muito; ganham pouco.

(   ) Eu já li este livro três vezes.

17. Infância

Meu pai montava a cavalo, ia para o campo.

Minha mãe ficava sentada cosendo.

Meu irmão pequeno dormia.

Eu sozinho menino entre mangueiras

lia a história de Robinson Crusoé,

comprida história que não acaba mais.

No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu

a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu chamava

para o café.

Café preto que nem a preta velha

café gostoso

café bom.

Minha mãe ficava sentada cosendo

olhando para mim: -

Psiu... Não acorde o menino.

Para o berço onde pousou um mosquito.

E dava um suspiro... que fundo!

Lá longe meu pai campeava

no mato sem fim da fazenda.

E eu não sabia que minha história

era mais bonita que a de Robinson Crusoé.

Alguma Poesia

Carlos Drummond de Andrade 

O primeiro período do texto é

a) simples só com uma oração absoluta.

b) composto por coordenação sindética.

c) composto por coordenação assindética.

d) composto por subordinação.

e) misto com duas orações.

18. Assinale a opção que analisa CORRETAMENTE o período “Se não existe sanção social, se perdemos o mecanismo de prêmios e punições, o crime fica naturalizado.”

a) O período é composto por subordinação, apresentando uma oração principal “se perdemos o mecanismo de prêmios e punições” e duas orações que complementam o sentido da oração principal: “Se não existe sanção social” e “o crime fica naturalizado”.

b) O período é composto por subordinação e encontram-se duas orações subordinadas condicionais e uma oração principal.

c) O período é composto por subordinação e encontram-se duas orações subordinadas adverbiais consecutivas e uma oração principal.

d) O período é composto por subordinação e encontram-se duas orações subordinadas adverbiais concessivas e uma oração principal.

e) O período é composto por subordinação e encontram-se duas orações subordinadas adverbiais, uma concessiva e uma consecutiva, e uma oração principal.

 

19. Com base na composição do período “Não existem seres humanos corruptos, mas uma sociedade corrupta na qual os seres humanos (dispostos à corrupção) agem”, analise as afirmações a seguir e assinale a opção CORRETA.

I. O período é classificado como composto por coordenação, pois encontram-se duas orações de sentido completo e independente articuladas por conjunção coordenativa adversativa. Por isso, pode-se afirmar que se tem uma oração principal e uma oração coordenada sindética adversativa;

II. O período é composto por coordenação e subordinação, em virtude de a oração coordenada sindética adversativa apresentar em seu interior uma oração subordinada adjetiva que atua sobre a expressão “os seres humanos”, restringindo o seu sentido nesse contexto, pois seleciona uma parte do todo;

III. O período é composto por coordenação e subordinação, em virtude de encontrarem-se três orações como componentes desse período: uma oração principal, uma oração coordenada sindética adversativa e uma oração subordinada adverbial locativa.

a) Apenas a afirmação I está correta.

b) Apenas a afirmação II está correta.

c) Apenas a afirmação III está correta.

d) Apenas as afirmações II e III estão corretas.

e) As afirmações I, II e III estão incorretas.

20. Acerca da análise da composição morfossintática de trechos do texto, julgue as afirmações a seguir e assinale a opção CORRETA.

I. No trecho “A lei e o olhar social influem positivamente em nossa conduta”, tem-se uma oração simples, com o verbo na terceira pessoa do plural, concordando com o sujeito, que é composto, por possuir dois núcleos;

II. No trecho “Devemos estar convencidos e convencer de que a corrupção também é um crime”, o sujeito da oração principal é do tipo desinencial, uma vez que ele aparece a partir das pistas linguísticas apontadas pela oração subordinada;

III. No trecho “Foram feitas diversas experiências para mostrar sob quais circunstâncias as pessoas se mostram mais predispostas a agir em benefício do bem comum”, o sujeito da oração principal se encontra posposto ao verbo.

a) As afirmações I, II e III são verdadeiras.

b) Apenas as afirmações I e III são verdadeiras.

c) Apenas as afirmações II e III são verdadeiras.

d) Apenas as afirmações I e II são verdadeiras.

e) Apenas a afirmação I é verdadeira.

 

21. O Caso do vestido  (Norma Couri)

      Viral que explodiu na internet no fim de semana (27/2-) 1/3) com 16 milhões de acessos e 11 milhões de mensagens pelo Twitter, em menos de um dia o vestido passou em importância à frente de guerras, estupros, sequestras, corrupções. “Me ajudem. Este vestido é branco ou dourado? Ou azul e preto?”, a cantora escocesa Caitlin McNeill perguntou na quinta-feira (26). Internautas do mundo todo vieram ajudar. Qual a cor do vestido? A marca britânica Roman Originals da peça apresentada apenas como “O Vestido” teve de aumentar o estoque depois que a procura subiu em 347%. Informou a todos “é azul!’’, mas cogita confeccionar o modelo em dourado e branco, como algumas pessoas enxergaram a cor.

      Na rádio CBN (sexta, 27/2), Carlos Alberto Sardenberg gastou um bom tempo apresentando versões desencontradas : de ouvintes sobre a cor do vestido, e ainda ouviu um : oftalmologista explicando que o fundo muda a cor e o olho humano cai em armadilhas frequentes. O portal G1 incluiu a polêmica cor do vestido entre as matérias mais lidas da semana. A edição de domingo (1/3) do Estado de S.Paulo (“Azul-Pretinho Básico?”) e O Globo de sábado (28/2, “Ciência explica mistério do vestido”) deram chamadas de capa e ouviram psicólogos, neurologistas, filósofos, sem chegara uma conclusão. Truque de luzes. Truque de ilusão de ótica. Células divergentes que interpretam cores. Cones dissonantes de cada pessoa que induzem mais ao vermelho, ao verde ou ao azul.

      O Fantástico fez um alentado quadro no domingo sobre as zonas de sombra calibradas pelo cérebro para perceber cores. A Folha de S.Paulo publicou a matéria em página quase inteira na rubrica “Ciência” (sábado, 28), “Debate sobre cor de vestido expõe sutis diferenças nos olhos e cérebros”. O psicólogo e neurocientista da New York University, Pascal Wallisch, em artigo traduzido para o caderno “Aliás” do Estadão de domingo, conclui filosoficamente que devemos manter a ; mente aberta, “algo para lembrar da próxima vez que você discordar de alguém”.

      O enigma do vestido quebrou a internet e a nossa ; compreensão de como atrair leitores para os assuntos do dia, o que colocar na primeira página, qual o interesse real das pessoas no mundo inteiro. Nem dá para criticar o Brasil pelas banalidades e celebridades cotidianas porque a respeitadíssima revista de tecnologia americana Wired, com sede em São Francisco, entrevistou um neurologista para explicar que a luz que enxergamos durante o dia muda de cor e a compensação é feita pelo cérebro.

      Até a melhor rede pública de TV do Mundo, a britânica BBC entrou na charada: publicou uma avaliação da expert Emma Lynch para concluir que a cor do vestido é azul ou preta. Ou dourado e branco?

      Muito antes, em 1945, a polêmica pré-internet, pré-computador, foi em torno do maravilhoso poema de Carlos Drummond de Andrade publicado em A Rosa do Povo. “O caso do vestido” virou peça de projetos escolares, como o da professora Lucy Nakamura (o vestido era preto). Foi encenado e ; declamado no Brasil inteiro. Serviu a dissertações de mestrado e ; a teses de doutorado em várias universidades, foi tema de discussão em mesas redondas, dissecado por semiólogos, ; psicólogos, críticos literários. Em 2004 virou filme de Paulo Thiago interpretado por Gabriela Duarte, Daniel Dantas, Renato Borghi, Paulo José e o excelente ator Othon Bastos, que já foi o cangaceiro Corisco no filme Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha, e hoje o conhecem apenas como o mordomo da novela Império. No filme, o vestido era rosa.

Nesses 70 anos que separam o vestido da Roman Originals em 2015 e o vestido de Drummond em 1945, vale a pena reler o poema para perceber o quanto empobrecemos, emburrecemos, perdemos o foco das discussões.

“Nesses 70 anos que separam o vestido da Roman Originals em 2015 e o vestido de Drummond em 1945, vale a pena reler o poema para perceber o quanto empobrecemos, emburrecemos, perdemos o foco das discussões.”.

Analise as afirmações e marque a alternativa correta:

I- O “que” é pronome relativo com função de sujeito.

II- “e o vestido de Drummond” é um exemplo de metonímia.

III- “o quanto empobrecemos” é uma oração substantiva na função de objeto direto em relação ao verbo perceber.

IV- A palavra “reler” é formada por derivação sufixai.

a) São corretas as afirmações I, II, III e IV

b) São corretas somente as afirmações I, II e III.

c) São corretas somente as afirmações I e IV.

d) Somente a afirmação IV é correta.

e) São corretas somente as afirmações I e II.

22. Em: “O currículo é ler com fluência, entender o lido, escrever corretamente, usar regra de três, calcular áreas, volumes e um juro simples, ler gráficos e tabelas...”, pode-se afirmar sobre os verbos de ação presentes no período que:

a) todos estão empregados no futuro do presente.

b) todos estão empregados no futuro do pretérito.

c) todos estão empregados em formas nominais.

d) todos estão empregados no presente do subjuntivo.

e) todos estão empregados no imperativo afirmativo.

23. Em: “(...) não há boas razões para desdenhá-la (...)”, analise as alternativas e assinale a incorreta quanto à estrutura:

a) O verbo haver, no fragmento, é impessoal.

b) O pronome oblíquo “Ia” refere-se à tecnologia.

c) Sempre que o pronome oblíquo estiver depois de verbos terminados em r, s, z, usa-se Io, Ia, los, Ias.

d) Boas razões é o sujeito da ação verbal.

e) A preposição “para” tem sentido de finalidade.

24. Em “faiscar um brilho novo”, inverte-se a ordem usual da oração, que consiste na colocação do verbo depois do sujeito, em português. Também se verifica ordem inversa em:

a) Quando nenhuma presença esticava a linha do caniço...

b) O velho entrou, assim, na categoria dos ausentes.

c) E chegou a manhã em que, debruçando-se sobre a água...

d) Nem havia qualquer pescador por perto.

25. 1. Dê a função sintática dos termos assinalados pelas aspas: "O lucro", que é um dos incentivos do sistema, foi "excelente".

a) objeto direto - adjunto adverbial.
b) sujeito - predicativo do sujeito.
c) sujeito - predicativo do objeto.
d) predicativo do sujeito - predicativo do objeto.

26. "Pagam bem lá?" Nesta oração o sujeito é:

a) oculto

b) simples

c) indeterminado

d) oração sem sujeito

27. "Em nossa terra não se vive senão de política." Nesta oração o sujeito é:

a) indeterminado

b) oração sem sujeito

c) oculto

d) simples

28. "Afinal, lá se está sempre contente." Nesta oração o tipo de sujeito é:

a) oculto

b) composto

c) determinado

d) indeterminado

29. "Precisa-se de operários para a obra." Nesta oração o tipo de sujeito é:

a) composto

b) indeterminado

c) simples

d) oração sem sujeito

30. "Os livros escolares devem ser tratados com carinho." Nesta oração o tipo de sujeito é:

a) composto

b) indeterminado

c) simples

d) oração sem sujeito

31. Meu amigo, José, estuda à noite. Nesta oração o tipo de sujeito é:

a) indeterminado

b) composto

c) simples

d) nenhuma das anteriores

32. "Entusiasmo, garbo e disciplina caracterizaram o desfile." Nesta oração o tipo de sujeito é:

a) indeterminado

b) composto

c) oração sem sujeito

d) simples

33. O sujeito de uma oração é determinado quando:

a) O seu núcleo é um substantivo, palavra substantivada, pronome ou oração substantiva.

b) O seu núcleo é sempre um substantivo

c) O seu núcleo é sempre uma oração substantiva ou um substantivo

d) O seu núcleo é sempre um pronome pessoal ou um substantivo.

34. Quanto à espécie, o sujeito de uma oração pode ser:

a) Determinado ou indeterminado

b) Simples, composto ou implícito (oculto)

c) As duas alternativas anteriores estão corretas.

d) Nenhuma alternativa está correta.

35. Considere a frase “Ele andava triste porque não encontrava a companheira” – os verbos grifados são respectivamente:
a) transitivo direto – de ligação;
b) de ligação – intransitivo;
c) de ligação – transitivo indireto;
d) transitivo direto – transitivo indireto;
e) de ligação – transitivo direto.

36. Indique a única alternativa que não apresenta agente da passiva:
a) A casa foi construída por nós.
b) O presidente será eleito pelo povo.
c) Ela será coroada por ti.
d) O avô era querido por todos.
e) Ele foi eleito por acaso.

37. Em: “A terra era povoada de selvagens”, o termo grifado é:
a) objeto direto;
b) objeto indireto;
c) agente da passiva;
d) complemento nominal;
e) adjunto adverbial.

 

38. Em: “Dulce considerou calada, por um momento, aquele horrível delírio”, os termos grifados são respectivamente:
a) objeto direto – objeto direto;
b) predicativo do sujeito – adjunto adnominal;
c) adjunto adverbial – objeto direto;
d) adjunto adverbial – adjunto adnominal;
e) objeto indireto – objeto direto.

39. Assinale a alternativa correta: “para todos os males, há dois remédioso tempo e o silêncio”, os termos grifados são respectivamente:
a) sujeito – objeto direto;
b) sujeito – aposto;
c) objeto direto – aposto;
d) objeto direto – objeto direto;
e) objeto direto – complemento nominal.

40.“Usando do direito que lhe confere a Constituição”, as palavras grifadas exercem a função respectivamente de:
a) objeto direto – objeto direto;
b) sujeito – objeto direto;
c) objeto direto – sujeito;
d) sujeito – sujeito;
e) objeto direto – objeto indireto.

41. “Recebeu o prêmio o jogador que fez o gol”. Nessa frase o sujeito de “fez” ?
a) o prêmio;
b) o jogador;
c) que;
d) o gol;
e) recebeu.

42. Assinale a alternativa correspondente ao período onde há predicativo do sujeito:
a) como o povo anda tristonho !
b) agradou ao chefe o novo funcionário;
c) ele nos garantiu que viria;
d) no Rio não faltam diversões;
e) o aluno ficou sabendo hoje cedo de sua aprovação.

43. Em: “Cravei-lhe os dentes na carne, com toda a força que eu tinha”, a palavra “que” tem função morfossintática de:
a) pronome relativo – sujeito;
b) conjunção subordinada – conectivo;
c) conjunção subordinada – complemento verbal;
d) pronome relativo – objeto direto;
e) conjunção subordinada – objeto direto.

44. Assinale a alternativa em que a expressão grifada tem a função de complemento nominal:
a) a curiosidade do homem incentiva-o a pesquisa;
b) a cidade de Londres merece ser conhecida por todos;
c) o respeito ao próximo é dever de todos;
d) o coitado do velho mendigava pela cidade;
e) o receio de errar dificultava o aprendizado das línguas.

45. Amanhã, sábado, não sairei de casa”, a palavra grifada, funciona como:
a) objeto direto;
b) objeto indireto;
c) agente da passiva;
d) complemento nominal;
e) aposto.

46. “E não se diga que Mário Quintana haja sido insensível às legítimas exigências da poética contemporânea”. O termo grifado desempenha a função de:
a) objeto direto;
b) sujeito;
c) adjunto adnominal;
d) complemento nominal;
e) objeto indireto.

47. “O sol entra cada dia mais tarde, pálido, fraco, oblíquo”
“O sol brilhou um pouquinho pela manhã”.

Pela ordem, os predicados das orações acima classificam-se como:

a) nominal – verbo nominal;
b) verbal – nominal;
c) verbal – verbo-nominal;
d) verbo-nominal – nominal;
e) verbo-nominal – verbal.

48. É exemplo de predicado verbo-nominal:
a) cuspi no chão com um nojo desgraçado;
b) o corpo me doía todo;
c) Estela se sentou na cama assustada;
d) E ele saiu correndo com os pés descalços;
e) Chico Sena morreu.

49. Em: “o professor entrou atrasado”
a) o verbo é intransitivo e o predicado é nominal;
b) o verbo é transitivo direto e o predicado é verbal;
c) o verbo é de ligação e o predicado é nominal;
d) o verbo é intransitivo e o predicado é verbo-nominal;
e) o verbo é transitivo indireto e o predicado é verbal.

50. Na expressão “. . . chamei Armando Nogueira de carioca . . .” encontramos no predicado pela ordem:
a) objeto direto e objeto indireto;
b) objeto direto e predicativo;
c) objeto indireto e adjunto adnominal;
d) objeto indireto e predicativo;
e) objeto direto e adjunto adverbial.

51. “Minha terra é pindorama, de Palmares sempre em flor !
a) o predicado é nominal e o verbo é de ligação;
b) o predicado é verbal e o verbo é intransitivo;
c) o predicado é verbal e o verbo é de ligação;
d) o predicado é verbo-nominal e o verbo é transitivo direto e indireto;
e) o predicado é nominal e o verbo é intransitivo.

52. Assinale a frase em que há sujeito inexistente:
a) compram-se jornais velhos;
b) nada se entendeu de suas palavras;
c) chama-se José o sacerdote;
d) choveu muito tomate aqui;
e) é noite.

53. Em “o Brasil foi descoberto pelos portugueses”, o termo grifado é:

a) objeto direto;
b) sujeito;
c) agente da passiva;
d) adjunto adverbial;
e) aposto

54. Em “Nunca, respondeu ela abanando a cabeça”, o termo grifado é:
a) objeto direto;
b) sujeito;
c) agente da passiva;
d) adjunto adverbial;
e) aposto.

55.“Amo essas montanhas, uma a uma, com exceção apenas do morro do Cantagalo, cujo volume é desagradável e pesado”, o termo grifado é:
a) aposto;
b) objeto indireto;
c) objeto direto;
d) adjunto adverbial;
e) predicativo do objeto.

56. Em “Meu maior desejo é que ela volte logo”, a oração grifada exerce a função sintática de:
a) sujeito;
b) objeto direto;
c) objeto indireto;
d) predicativo;
e) complemento nominal.

57. Assinale a alternativa em que apareça predicado verbo-nominal:
a) a chuva permanecia calma;
b) a tempestade assustou os habitantes da vila;
c) Paulo ficou satisfeito;
d) os meninos saíram do cinema calados;
e) os alunos estavam preocupados.

58. Na oração “Você ficará tuberculoso, de tuberculose morrerá”, as palavras grifadas são, respectivamente:
a) adjunto adverbial de modo, adjunto adverbial de causa;
b) objeto direto, objeto indireto;
c) predicativo do sujeito, adjunto adverbial;
d) ambas predicativas;
e) n.d.a.

59. Em: “O Presidente corrupto saiu cedo”.
a) o verbo é de ligação, e o termo grifado é núcleo do predicado;
b) o verbo é intransitivo e o termo grifado é adjunto adverbial;
c) o verbo é transitivo direto e o termo grifado é objeto direto;
d) o verbo é intransitivo e o termo grifado é objeto indireto;
e) o verbo é de ligação e o termo grifado é objeto indireto.

60. Na oração “a situação continua indefinida”:
a) o verbo é de ligação e o predicado é nominal;
b) o verbo é intransitivo e o predicado é verbo-nominal;
c) o verbo é transitivo direto e o predicado é verbal;
d) o verbo é bitransitivo e o predicado é verbo-nominal
e) o verbo é transitivo direto e o predicado é verbal.